fbpx
Afinal, como estimular as crianças a comer bem?
11 de outubro de 2016
Valor da prática de atividades físicas na infância
13 de outubro de 2016

Açúcar: como lidar com este doce inimigo da infância

Leia mais.

acucarNo dia 11 de outubro o jornal New York Times trouxe mais uma vez notícias das máscaras caindo. Adivinhem vocês a bola da vez: a indústria de refrigerante – e falamos aqui de Coca-cola e Pepsi. Um estudo mostrou que milhões de dólares foram dados a pelos menos 100 grupos de saúde influentes nos últimos anos. O estudo acompanhou doações da indústria e gastos de lobby de 2011 a 2015, período em que muitas cidades foram ponderando impostos sobre o refrigerante ou outras regulamentações para combater a obesidade. Confira a reportagem em inglês: http://nyti.ms/2diCnRc

Há pouquíssimo tempo finalmente observamos a “verdade revelada sobre o açúcar” por meio de pesquisadores que descobriram que cinco décadas de pesquisas sobre o papel da nutrição e doenças cardíacas, incluindo muitas das recomendações dietéticas de hoje, pode ter sido em grande parte moldada pela indústria do açúcar, corrompendo tudo aquilo que conhecemos hoje sobre este e outros produtos!

Interessante não é mesmo? Não!! É apenas a Indústria sendo Matrix! Como confiar em grupos que se dizem promotores de saúde e qualidade de vida, que apresentam representantes corrompidos em favor de qualquer coisa, menos da vida da população!  Em tempos de cuidados com a saúde de nossas crianças, pensem nisso!

E tem mais: em junho deste ano a American Heart Association publicou a recomendação sobre a quantidade recomendada de açúcar que as crianças devem ingerir. De acordo com a associação “bebês e crianças com menos de dois anos não devem comer nenhum alimento com adição de açúcar e as crianças maiores devem ingerir quantidades equivalentes a no máximo 100 calorias por dia”. Segundo o estudo aproximadamente 1/3 deste açúcar é consumido na forma de refrigerantes e cereais adoçados – e, estas crianças americanas comem três vezes mais açucares do que deveriam. Dá pra imaginar?! Crianças e adolescentes americanos comem, em média, 19 colheres de chá de açúcar por dia?! Estamos falando de potenciais pessoas à riscos de desenvolverem doenças cardíacas, aumento de risco de obesidade e pressão arterial elevada, por exemplo.

Agora, vamos lá?! Será que isso é uma realidade apenas dos nossos vizinhos norte-americanos?! Será que apenas os pais de lá permitem que seus filhos consumam estes produtos na infância?

Há anos oriento que a conduta é NADA de açúcar até os 03 primeiros anos de vida e, mesmo no 4º ano de idade em diante, segurar a quantidade. Primeiro ponto que sempre falamos e precisa estar fixado na mente de vocês: nos primeiros anos de vida as crianças só comem o que lhes é oferecido, ou seja, não é uma escolha que parte delas. Então, é inadmissível que nós, adultos (pais ou responsáveis, a dona tia, a dna. vovó tbem) sejamos aqueles a criar uma geração de pequenas “formigas” – que poderão se tornar adultos compulsivos por doces com a saúde afetada por conta de um hábito que lhes foi apresentado no momento da formação de seus gostos, do seu paladar. Atenção: o açúcar vicia como uma droga, como a cocaína.

Quem nunca percebeu que, ficando longe do açúcar, é possível se controlar? Basta iniciar o consumo de açúcar que automaticamente o corpo começa a pedi-lo durante o dia inteiro. Por que isso acontece? Simples. Os alimentos de alto índice glicêmico (velocidade com que os alimentos ingeridos liberam a glicose na circulação – e quanto maior o índice, maior é a carga de açúcar que esse alimento libera no sangue) são muito nocivos e, evidentemente, desencadeiam uma cascata de liberação de insulina e acúmulo de gordura.

Quando ingerimos um alimento do tipo carboidrato, como macarronada, bolo de cenoura ou pizza, você tem como resposta o açúcar rapidamente elevado na sua circulação. O pâncreas rapidamente secreta insulina e coloca imediatamente esse açúcar dentro da célula – o problema é que vem junto uma série de alimentos, como gordura.  Ocorre então o pico da insulina e a glicose é jogada para baixo rapidamente, porém, a insulina se mantém elevada algumas horas após estimulo – mesmo com a glicose baixa – sendo capaz de gerar a vontade de comer carboidratos, ou seja, você come o açúcar, que por sua vez estimula a insulina, e, assim que estimulada (mesmo depois de baixar sua glicemia), esta continua alta enquanto o nível de açúcar abaixa, e ela permanecendo alta gera fome porque você começa a ter a sensação de hipoglicemia, causada pela hiperinsulinemia. (veja mais em O Ciclo Vicioso da Insulina)

Afinal, como lidar com o açúcar?

A partir do momento em que a criança tem o contato com o açúcar, isso gera uma espécie de excitação, pois libera opioides cerebrais que geram sensação prazerosas, e a partir disso a criança vai querer repetir esse prazer, encontrar aquele sabor que a estimulou em todos alimentos. Dai a dificuldade em aceitar verduras, legumes ou frutas, pois não tem a mesma resposta cerebral viciante ao degustar, assim ela logo cospe o brócolis. Parem de oferecer refrigerantes, doces, chocolates, “papinha” industrializada, e toda sorte de embutidos ofertados pela Indústria Alimentícia!

Mas Dr. o que meu filho vai comer? Alimentos frescos, naturais, de preferência orgânicos, preparados por você – adulto responsável! Tem inúmeras dicas no meu blog de como preparar uma lancheira saudável, até as demais refeições!

Chega de desculpas! De doce, apenas a vida! Lembre-se, ao ensinar a criança na infância, quando adolescente ou adulta, ela poderá ter acesso ao universo dos doces, mas poderá fazer escolhas melhores, com base naquilo que você plantou dentro dela enquanto referência de alimentação quando criança! Pensem nisso! 

Alguns projetos educacionais e lúdicos, como o da Série Animada CARLOS®, criada e produzida pela SPIRIT Animation, a qual firmei parceria de auxiliar com conhecimentos, que é transmitida diariamente no canal Disney XD, ajudam em especial as crianças pequenas. Para quem ainda não conhece, deixe-me apresentar a vocês o herói Carlos e o jovem Juanito.  Toda vez que o jovem Juanito encontra uma comida considerada não saudável, sua consciência entra em conflito.

É nesta hora que surge o Carlos, a personificação do lado saudável da consciência do garoto. Ele confronta vilões como um enorme um perigoso robô Máquina de Refrigerantes ou até um Algodão Doce Maquiavélico. Embarcar neste universo lúdico e educativo sem dúvida é mais uma consolidação de todo um trabalho que tenho buscado desenvolver junto a vocês, estrelinhas, que me acompanham diariamente e, que assim como eu, tem buscado transformar e/ou solidificar a alimentação saudável de seus filhos, sobrinhos, netos, enfim, das crianças.

final, é na infância que descobrimos sabores, gostos e e construímos hábitos que muitas vezes levamos por longos anos. Compreender o papel de cada alimento, conhecer os benefícios nutricionais e, sobretudo, saber identificar quais comidas são maléficas ao organismo, é fundamental e esta preocupação deve ter início ainda na infância.

Ensinar nossos filhos a fazer escolhas saudáveis começa com nossas atitudes junto a eles em casa! Acompanhe no Youtube: http://bit.ly/2aNpz57 e o site é: www.carlosserieanimada.com.br 

Confira alguns tipos de alimentos que contem níveis de açúcar elevados, são prejudiciais e devem ser evitados:

Refrigerante: contém alta concentração de açúcar e sódio, que podem levar à obesidade e a problemas cardíacos. Os sabores à base de cola, em sua maioria, trazem também ácido fosfórico, que reduz a absorção de cálcio pelo organismo, o que pode enfraquecer os ossos. Versões diet, light e zero de refrigerantes são especialmente prejudiciais para as crianças devido à presença de adoçantes como aspartame e ciclamato de sódio.

Cereal: com a concentração de açúcar elevada, quase todos os cereais de caixa mais engordam do que nutrem. Não são recomendados para a dieta diária da criança.

Bolacha recheada: não agrega valor nutricional significativo à alimentação da criança, além de carregar gordura saturada e muito açúcar.

Suco industrializado: em pó ou líquidos, tem mais açúcar e corantes do que suco das frutas que mostram nas embalagens. Ao contrário do que muitos pais pensam, os sucos industrializados não têm as vitaminas e os sais minerais de que as crianças precisam.

Cereais açucarados As caixas dos cereais infantis são atraentes tanto no que diz respeito aos personagens estampados nas embalagens quanto às vitaminas e aos minerais presentes naquele cereal. Por outro lado, a quantidade de açúcar muitas vezes é superior às vitaminas e minerais.

Pirulitos: o contato do pirulito com as mucosas da língua, rapidamente o açúcar e corantes presentes nele entram em contato com a corrente sanguínea. Em especial os de coloração azulada, que tingem a língua de azul (e todos acham engraçado), devem ser mantidos fora do alcance das crianças, devido a seu potencial de toxicidade por conta da tinta artificial que dá cor ao doce. Além dos corantes, o açúcar em sua composição por si só já é nocivo, devido a ser um produto viciante ao paladar da criança, que sempre buscará a sensação gerada por seu consumo. O consumo de doces também é fator para desencadear obesidade infantil. Isso sem falar no aparecimento de cáries nos dentes, comprometendo inclusive a saúde bucal das crianças.

Balas: seu consumo em excesso pode causar um aumento elevado de glicose no sangue, que por sua vez, provoca uma maior secreção insulínica e isto é perigoso, já que em excesso, pode baixar as taxas de glicemia rápido demais, o que abre o apetite e faz com que a pessoa coma novamente e engorde. Isso sem falar nos corantes artificiais que dão “vida” às guloseimas. Quando consumidos com frequência, os corantes artificiais podem interferir no processo metabólico e até neurológico e também podem desencadear alergias, irritação estomacal e até prejudicar a pele.

Sorvetes: Em sua maioria, os sorvetes são industrializados. Os de massa, aqueles que você compra em potes – na verdade não possuem nenhum nutriente que possa trazer benefícios ao organismo das crianças. Isto porque é rico em carboidratos considerados de “baixo valor nutricional”, ou seja, possui altos níveis de açúcar e, portanto, são rapidamente absorvidos pelo organismo e transformados em gordura! Além disso, os sorvetes muitas vezes recebem aditivos químicos, como corantes ou aromatizantes, que são conhecidos por aumentarem os riscos de desenvolvimento de doenças crônicas.  Lembrem-se: picolé ou massa, o consumo destes doces geladinhos, deve ser sempre com moderação! Inclusive, os de frutas, que embora sejam naturais, contêm frutose – o seu açúcar natural, que é bom desde que não seja ingerido em excesso!

WhatsApp chat