Blog

Home > Atividade Físicatitle_li=Medicinatitle_li=Reportagens > Vitamina D: ferramenta eficaz no controle das autoimunes

vitamina DA vitamina D controla aproximadamente 270 genes, inclusive células do sistema cardiovascular, e a sua principal fonte de produção são os raios ultravioletas do tipo B (UVB), que são capazes de ativar a síntese da vitamina em nosso organismo. Importante destacar que, apesar de ser a fonte que mais trabalha na produção, alguns alimentos, como peixes gordos, por exemplo, também oferecem vitamina D. A suplementação também é bastante utilizada, sendo recomendada quando há deficiência nutricional no corpo ou em casos de tratamento de algumas doenças.

A vitamina D é responsável pelo controle de doenças autoimunes e é por meio da exposição solar que recebemos 90% dos níveis que nosso corpo necessita. Além disso, a deficiência nutricional decorrente da falta da vitamina pode causar doenças!

 

Esta vitamina é considerada um hormônio, ou seja, é metabolizada no organismo. Ela atua na manutenção do tecido ósseo, no auxílio à secreção e produção hormonal e também influencia consideravelmente no sistema imunológico. Por conta disto, é amplamente recomendada em doenças autoimunes, tanto na prevenção como no tratamento. Além disso, ela combate doenças crônicas não transmissíveis, como é o caso da síndrome metabólica, que tem como um dos componentes o diabetes tipo 2.

Um exemplo prático da eficácia da vitamina D contra doenças autoimunes está no protocolo do Dr. Cícero Coimbra, que conseguiu reverter a atividade da esclerose múltipla apenas com o uso de vitamina D, indo contra o uso de imunossupressores óbvios para doenças autoimunes, como é o caso. Sua inovação conseguiu, efetivamente, fazer com que a esclerose múltipla desaparecesse em 95% dos casos não avançados da doença. Mas, quando iniciado rapidamente, o tratamento pode reverter as sequelas. O protocolo funciona da seguinte maneira: como a vitamina D é um hormônio – por possuir a mesma estrutura básica dos hormônios esteroides – ela age de forma eficaz no sistema imunológico.

Além dessa evidência, os departamentos de Medicina do Coney Island Hospital, de Nova York (EUA) , e de Doenças Autoimunes do Sheba Medical Centre, de Israel (2016), compilaram vários estudos que investigam o papel da vitamina D nas doenças autoimunes. As conclusões indicaram que várias doenças autoimunes são moduladas pela vitamina D, como a esclerodermia, as doenças autoimunes da tiroide, a artrite reumatoide e a cirrose biliar primária.

Em especial no último século, sobretudo nos últimos 20 anos, devido a mudança dos hábitos do ser humano, que incorreu em sedentarismo a alguns, o homem passou a não adquirir vitamina D como deveria.

A vitamina D é importante para todas as pessoas! Inclusive, para as grávidas, durante a gestação, a vitamina D é fundamental – sobretudo – para a saúde do bebê. Em níveis baixos, pode haver risco de a gestante ter diabetes gestacional, pré-eclâmpsia e outros.

Então, não fuja do sol! Ele é o maior imunoprotetor biológico que a natureza oferece para nós? Antes que você possa ficar de cabelos em pé com esta diretiva, deixo claro que não se trata de “tostar” ao sol, ou passar períodos longos. Apenas 10 minutos sob o sol, no horário entre 11h e 15h – e você terá absorvido vitamina D necessária. Nos horários de 8h às 10h a absorção é mais baixa.

Ele é amigo da saúde, previne doenças – inclusive autoimunes. Se você tomar sol em uma atividade física ao ar livre, se torna ainda mais saudável: seu organismo libera endorfina, ajuda a manter sua massa corporal em dia e vamos combinar? Nada melhor que um belo dia de sol para aproveitar o parque, a praia e a piscina com a família e os amigos! Então, tome os cuidados necessários – quanto a proteção e horários de exposição – para a prática de atividades físicas. A natureza é perfeita. Desfrute disso e permita que os benefícios dela se agreguem ao seu organismo.