Blog

Home > Medicinatitle_li=Reportagens > Indústria: o que há por trás

Folha - Equilíbrio e Saúde

Publicado em 17/11/16

Uma nova reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, em 17 de novembro, na seção “Cotidiano” chamou a minha atenção: “Indústria farmacêutica age como o crime organizado, diz pesquisador”. (leiam aqui brilhante entrevista da jornalista Claudia Colluccihttp://bit.ly/2g2FQU0

A frase é de um médico dinamarquês, chamado Peter Gotzsche, de 67 anos - professor na Universidade de Copenhague e um dos que ajudaram a fundar a Cochrane (rede de cientistas que investigam a efetividade de tratamentos). Inclusive, Gotzsche é autor de um livro que acaba de ser lançado – chamado “Medicamentos mortais e crime organizado – Como a indústria farmacêutica corrompeu a assistência médica” (Bookman Editora). Segundo a matéria “ele compara a indústria farmacêutica ao crime organizado e a considera uma ameaça à prática da medicina segura”.

Digo que antes que se torçam narizes – em especial àqueles que chegaram por aqui agora e estão me conhecendo, de acordo com Gotzsche o seu objetivo não está contido em tratar de categorias de medicamentos que sejam consagrados como benéficos, mas sim, tratar de “falhas de todo um sistema, da descoberta, produção, marketing e regulação das drogas”. (…) “Isso é fato, não é acusação. Ela [a indústria] sabe que determinada ação é errada, criminosa, mas continua fazendo de novo e de novo. É o que a máfia faz. Esses crimes envolvem práticas como forjar evidências e fraudes”, diz.

Compartilho da linha de abordagem de Gotzsche – então, quem me conhece sabe que ao ler a matéria me identifiquei com seus pontos colocados – e bem sedimentados. Infelizmente, há distorções promovidas em prol de interesses que estão longe de atender a assistência à saúde da população e, acabam por corromper a medicina e afastá-la de seus princípios. Quero citar aqui dois exemplos que compartilhei com vocês recentemente e, embora sejam da indústria alimentícia, mostram a distorção em pesquisas:

O primeiro deles foi “Açúcar – a verdade revelada” – que abordamos o resultado de levantamento de pesquisadores da Universidade da Califórnia publicado no JAMA Internal Medicine, dia 12/09, que virou manchete num dos principais jornais do mundo: o “The New York” e trouxe à luz  evidências que possibilitaram avaliar que a Sugar Research Foundation (SRF) patrocinou seu primeiro projeto de pesquisa sobre doenças coronárias – que ADIVINHEM: apontou que a GORDURA SATURADA e colesterol eram as causas destes agravos. Com isso, contribuiu-se para “despistar” o olhar para os reais riscos do consumo do açúcar – que na verdade deu seus primeiros sinais de alerta para evidências, inclusive com potencial para desenvolver doenças cardíacas, já em 1950! Aqui o link http://bit.ly/2cCmgdy

O outro post que vimos há apenas 5 semanas, mostrei que a indústria de refrigerante – e falamos aqui de Coca-cola e Pepsi – foram alvo de um estudo que mostrou que milhões de dólares foram dados a pelos menos 100 grupos de saúde influentes nos últimos anos. O estudo acompanhou doações da indústria e gastos de lobby de 2011 a 2015, período em que muitas cidades foram ponderando impostos sobre o refrigerante ou outras regulamentações para combater a obesidade. http://bit.ly/2gkZey8

Interessante não é mesmo? Não!! É apenas a Indústria sendo Matrix! Como confiar em grupos que se dizem promotores de saúde e qualidade de vida, que apresentam representantes corrompidos em favor de qualquer coisa, menos da vida da população!