Blog

Home > Medicinatitle_li=Nutrologia > Diabetes da infância e adolescência

infancia adolescenciaHoje vou discutir com você sobre o diabetes na infância e adolescência. Em especial, com você, que negligenciou a alimentação do seu filho que, além de se encontrar com obesidade, também adquiriu diabetes por conta disto! É claro que há a condição genética e o metabolismo lento, mas nem as piores situações podem ser fatores de desculpa para que uma criança já se encontre diabética. Quem me segue no snapchat e aqui há mais tempo sabe que carrego os genes de um diabético e que reverti isto com um estilo de vida completamente saudável. E seu filho tem desculpa para ter desenvolvido uma diabetes tipo 2? Ou o fast food que você deixou ele se alimentar repetidamente continua sendo bonitinho?

A diabete na infância é um problema sério que requer tratamento contínuo, somente assim a criança que sofre da doença poderá ter uma vida saudável. Novos hábitos de vida e condições alimentares serão impostas ao pequeno diabético e se familiarizar com isso não é tarefa simples, por isso é que sempre digo que o exemplo dos pais é tudo. Ele aprende com você, não vá achando que obrigá-lo a comer verduras será a resolução, se você continua na alimentação preguiçosa. Imagine como será difícil pra ele ver que precisa comer uma série de coisas novas sendo que os pais continuam na bolacha, salgadinho e refrigerantes??? Vamos acordar né!

A ocorrência de diabete na infância não está ligada apenas a genética, mas também ao aumento dos casos de obesidade infantil. As crianças que se encontram acima do peso e baseiam as refeições num cardápio inadequado, tem maiores chances de desenvolver diabete.

No Diabetes tipo 1, a época da puberdade gera a necessidade de doses maiores de insulina para um bom controle. Isto ocorre porque os hormônios da puberdade são antagonistas da insulina, ou seja, eles atrapalham a ação da insulina.  Um outro aspecto importante são as próprias alterações de vida decorrentes da adolescência, onde o jovem quer ter maior independência, não quer ficar restrito a esquemas convencionais, etc. Isto, para o diabetes, é um complicador já que os tratamentos baseiam-se em algumas normas de horários alimentares, por exemplo. Um adolescente que vá a uma “balada” e resolva não se alimentar no horário convencional e vai jantar às 3 horas da manhã, cria um problema e tanto, pois a insulina que ele tomou pressupõe um horário alimentar definido. Ele pode, portanto ter hipoglicemia porque não jantou no horário adequado e vai ter hiperglicemia porque está se alimentando fora do horário convencional.

Um outro aspecto que os adolescentes apresentam é dormir até o meio dia, deixando de fazer seu café da manhã no horário convencional. Isto pode levar a graves hipoglicemias. Todos esses detalhes devem ser muito bem conversados com os seus filhos, para que eles entendam os mecanismos que regem o tratamento. Como disse ontem, é preciso aceitar a doença e não negligenciá-la. Se o seu filho a conquistou por maus hábitos, é mais do que obrigação dele que a rotina de aplicar a insulina seja regulada. Não adianta achar que vai “passar a perna” e depois ajustar a quantidade, porque isto só piora! Converse seriamente com o seu filho e estabeleça as regras. Diabetes é coisa séria! Quanto mais cedo o diabetes for detectado, mais chances se tem de eficácia no controle da doença e de evitar complicações futuras. Desde o nascimento há medidas de prevenção ao diabetes como o aleitamento materno, evitando a alimentação artificial, rica em açúcares desnecessários nesta fase. Então, deve-se manter uma alimentação saudável para evitar a obesidade infantil. Pais devem levar as crianças para um espaço grande para brincarem e praticarem esportes e assim evitar que fiquem apenas à frente de computadores e videogames.

Além de favorecer o sedentarismo, obesidade e outros problemas comuns a esta nova geração, seus filhos podem ter uma doença que realmente traz muitas complicações em uma fase que querem fazer tudo sozinhos ou ainda são muito imaturos para cuidarem de si mesmos. Sempre passem conhecimento, pois ao mostrarem o que cada ação pode gerar, eles ficam cada vez mais entendidos! Mais tarde falo sobre diabetes na terceira idade, fiquem atentos!