Blog

Home > Atividade Físicatitle_li=Reportagens > CROSSFIT: aqui a rotina não tem vez

CROSSFITPublicado em 08/12/2016

A atividade de CrossFit consiste num programa de treino funcional, constantemente variado e de alta intensidade. Alia três tipos de movimento: ginástica, movimento de levantamento de peso olímpico (LPO) e movimento de endurance (resistência). Esta é a base deste exercício.

Trouxe aqui pra falar com vocês o nutricionista do Instituto, Lomário Fonseca, que além de sua atividade profissional é assíduo do Crossfit.

O primeiro conselho é que seja qual for a atividade de interesse, a pessoa deve ir aos poucos. “Até no CrossFit será necessária adaptação para que a pessoa possa ir desenvolvendo sua habilidades neste esporte”. Mesmo para os adeptos da musculação – que estão acostumados a um certo tipo de treino e emprego de energia. “Não adianta sair da musculação, como vejo muita gente fazer, e acreditar que irá pegar todos os pesos disponíveis no CF, porque poderá acabar se lesionando”, explica. Desenvolver as capacidades neste novo universo é essencial. Muitas vezes é preciso melhorar o aspecto cardiovascular, por exemplo, uma vez que a musculação a pessoa executa mais parado, só no exercício. “O CrossFit não, você está sempre em movimento”, analisa.

Segundo ele o CrossFit trabalha mais o sistema anaeróbico, sendo voltado para a fadiga. Já a musculação utiliza mais o Tricipital (PCT) e Panturrilha (PCP), que é o que se chama energia rápida e de curta duração (vocês devem acompanhar as séries do Dr. no SNAP de final de semana, né. Ele sempre compartilha este aspecto de intensidade alta x curta duração).

Na musculação é feita uma série rápida, o que demanda mais intensidade. Já o CrossFit você não vai conseguir fazer esse mesmo peso porque geralmente são várias repetições e em movimento. No CF a carga deve ser menor.

O bom do CF é que ele encampa todos. Desde iniciantes aos mais “velhos praticantes de atividades físicas”. Numa aula você terá o aquecimento, a parte técnica, e vai apreder a fazer os movimentos do treino do dia. O mais interessante do meu ponto de vista é que esse mesmo treino de hoje só se repetirá talvez em um ano (ou mais). Os treinos são constantemente variados. É super dinâmico.

Assim como eu, Fonseca não descarta a musculação de lado. Pelo contrário. Ele reforça que dá para conciliar ambos. “Defendo a musculação. De fato ela é o melhor treino para condicionamento, para ganho de massa muscular, e aí você associar os dois treinos é o mais ideal. Um é mais cardio, o outro se desenvolve mais a parte muscular”, avalia Fonseca.

Precisamos reforçar aqui que o melhor caminho para a prática de atividades como parte de sua vida é encontrar alguma que você se identifique ou que conforme recomendação de um profissional, melhor atenda os objetivos esperados. O importante é não ficar parado!