Blog

Home > Medicinatitle_li=Reportagens > Como o comportamento dos pais pode influir no sono das crianças

24.11_Estudo Sono PaisPublicado em 24/11/2016

A qualidade do sono é importante em todas as fases da vida. Na infância, sobretudo, ela é fundamental para o desenvolvimento da criança – tanto no aspecto físico (de crescimento) quanto cognitivo e de aprendizagem.

Agora, vocês sabiam que a atitude dos pais e responsáveis influencia no sono dos pequenos? Pois é, sabemos que os pais devem ser exemplos na educação – sobretudo, no cultivo de bons hábitos alimentares, no despertar do gosto por práticas de atividades físicas entre tantos outros meios de se alcançar os pilares para uma vida saudável! Como sempre friso com vocês (incessantemente) mais do que falar ou ordenar, adultos são exemplos para as crianças. Elas se inspiram nas atitudes e não em palavras.

Tive acesso hoje a um estudo que trata exatamente da relação do comportamento dos pais no sono das crianças. O artigo “Associations of Parent Health Behaviors and Parenting Practices with Sleep Duration in Overweight and Obese Children” foi publicado por pesquisadores do Hospital Infantil de Boston e da Faculdade de Medicina de Harvard, na edição de 15 de novembro do periódico “Journal of Clinical Sleep Medicine” – publicação oficial da Academia Americana de Medicina do Sono (American Academy of Sleep Medicine).

O estudo indica que a duração do sono infantil pode ser influenciada pela estabilidade do sono dos pais. Por exemplo, os pais podem influenciar a duração do sono da criança, servindo como modelos, incentivar e apoiar escolhas saudáveis ​​da criança, ou o estabelecimento de uma rotina para a hora de dormir em família.

Quando os pais tem um sono saudável, isso reflete nas crianças. O estudo envolveu 790 pais com uma idade média de 41 anos. Seus filhos, que estavam entre as idades de 6 e 12 anos,  que estavam participando de um ensaio controlado(modalidade de pesquisa) sobre obesidade. Assistentes de pesquisa treinados aplicaram um questionário aos pais por telefone. Aproximadamente 92% dos entrevistados eram mães. A duração do sono médio diário observado foi de 6,9 ​​horas para pais e 9,2 horas para as crianças.

Verificou-se que quando os pais se empenham em ajudar as crianças a dormir o suficiente houve um aumento da duração do sono criança de 0,67 horas por dia. No geral, 57% dos pais acompanhados na pesquisa relataram sentir-se “muito” ou “extremamente” confiantes de que poderiam ajudar os filhos a dormir o suficiente. O estudo também descobriu que a duração do sono da criança foi de 0,09 horas por dia a mais para cada aumento de 1 hora na duração do sono dos pais.

Há ainda estudos que mostram ligação do sono comprometido de crianças e obesidade. Quando dormem menos, ficam mais cansadas e, consequentemente, sedentárias, e assim queimam menos calorias. A privação do sono impacta na produção do hormônio leptina, que auxilia a regular a saciedade.

Para promover uma boa saúde a Academia Americana de Medicina do Sono recomenda que as crianças com idades entre 6 e 12 anos devem dormir de 9h a 12h. Se este período for inferior a esta margem de sono está associada a problemas de atenção, comportamento e aprendizagem, e aumenta os riscos de saúde.

Além da ciência, a vivência

Para que as crianças possam alcançar os benefícios do sono ao organismo concentre-se na forma que tem se relacionado com a hora de dormir. Incentive-as por meio de suas atitudes. Antes de se deitarem, desligue aparelhos eletrônicos, vá reduzindo o ritmo da casa e, para finalizar com chave de ouro, dedique tempo de qualidade ao momento de dormir. Leia uma história para seu filho, ensine-o a agradecer pelo dia que teve, pela comida, pelas bênçãos. Isto é algo que vai além de um sono bom, trará segurança e fortalecerá ainda mais o vínculo pais-filhos, avós-filhos.

Acreditem: isso é muito mais do que qualquer ciência possa evidenciar. É um laço que se estenderá por toda a vida deles! Um elo de amor que certamente será passado de geração em geração! #gratidão por estes momentos que são memórias vivas por toda nossa existência! Valorizem isso!